Teletrabalho: CDN facilita negócios em época de quarentena

Teletrabalho: CDN facilita negócios em época de quarentena

A pandemia de Covid-19 forçou empresas do mundo todo a se adaptarem. Muitas companhias têm recorrido ao teletrabalho para continuar em atividade. Enquanto dura a quarentena, os colaboradores permanecem na segurança de seus lares, realizando as atividades pela internet.

A pandemia de Covid-19 forçou empresas do mundo todo a se adaptarem. Muitas companhias têm recorrido ao teletrabalho para continuar em atividade. Enquanto dura a quarentena, os colaboradores permanecem na segurança de seus lares, realizando as atividades pela internet.

Aqui no Brasil, as universidades também são um exemplo. A maioria das aulas segue, mas no modo remoto. Os estudantes trocaram a sala de aula por espaços on-line de aprendizagem. A fala dos professores, de repente, transformou-se em webinar, neologismo para designar os seminários em rede.

Trabalho remoto expõe fragilidades tecnológicas das empresas

A mudança de estratégia das instituições pode ser uma oportunidade para testar novos modelos de operação. Porém, ela também expõe a fragilidade das tecnologias utilizadas atualmente.

Imagine que uma corporação com mais de 10 mil funcionários resolveu aderir ao home office. O sistema interno, que antes só era acessado na sede da empresa, terá que ser disponibilizado na nuvem. Há riscos de segurança aí, como o vazamento de informações sigilosas.

Outro problema é a disponibilidade. O servidor precisará aguentar dezenas de milhares de acessos simultâneos à plataforma on-line. Se a estrutura não estiver preparada para atender à demanda, pode haver instabilidade. Alguns usuários conseguirão utilizar o serviço, enquanto outros ficarão de fora.

Isso se torna bastante perceptível durante uma videoconferência. Existem até programas gratuitos para reunir diversas pessoas numa mesma sala virtual. No entanto, há um limite de acessos concomitantes, geralmente bem baixo. E mesmo as alternativas pagas, que oferecem mais capacidade, sentem o baque. Gente demais no mesmo local causa lentidão no sistema, o que dificulta e até impossibilita a experiência on-line.

Como uma CDN facilita a adoção do teletrabalho

Felizmente, existe uma solução para driblar os gargalos tecnológicos. Estamos falando da CDN. Como sempre reiteramos neste blog, a Rede de Distribuição de Conteúdo ajuda a desafogar o servidor principal. Isso porque ela cria diversas cópias dos arquivos do site, espalhando-as por pontos de presença ao redor do globo.

A abordagem serverless permite que mais usuários se conectem simultaneamente às plataformas digitais. Em vez de desembocar num único servidor, as solicitações de acesso viajam ao ponto geográfico mais próximo. Essa característica não só mantém as páginas sempre no ar, como também reduz a latência, isto é, o tempo de resposta para o material carregar. Em outras palavras, o website fica mais rápido.

Além disso, a segurança está garantida. As melhores opções de CDN contam com firewall integrado e outros recursos. Essa infraestrutura serve para monitorar ameaças, bloquear ações suspeitas e mitigar qualquer tipo de risco.

O que você acha dessa alternativa? Se seus alunos enfrentaram dificuldades para acompanhar a videoaula, ou se sua equipe ainda não consegue aproveitar plenamente o home office, contratar um serviço de CDN pode facilitar bastante a adesão ao trabalho remoto.

Quer saber mais? Então acompanhe nosso blog. Temos um artigo no qual tiramos cinco dúvidas sobre a Rede de Distribuição de Conteúdo. Em outro post, elencamos os diferenciais da CDN Verizon, como offload acima da média, ferramentas exclusivas e preço justo, compatível com o tamanho de seu negócio. Boa leitura!

Comentário(s)