As diferenças entre fornecedores de CDN no Brasil

As diferenças entre fornecedores de CDN no Brasil

Nem toda CDN é igual. Se você está pensando em contratar os serviços de uma Rede de Distribuição de Conteúdo, deve conhecer as diferenças entre os fornecedores. É sobre esse assunto que vamos falar hoje. Continue a leitura e saiba como escolher a melhor alternativa para o seu negócio.

Nem toda CDN é igual. Se você está pensando em contratar os serviços de uma Rede de Distribuição de Conteúdo, deve conhecer as diferenças entre os fornecedores. É sobre esse assunto que vamos falar hoje. Continue a leitura e saiba como escolher a melhor alternativa para o seu negócio.

Fatores que diferenciam uma CDN da outra

Abaixo, listamos cinco pontos relevantes para a sua decisão. A ideia é apontar os fatores que impactam diretamente a performance do site. Confira!

  1. Presença

A grande vantagem da CDN é replicar os arquivos do servidor original em diversos locais. São os chamados Pontos de Presença (POPs).

Quanto mais próximo o POP estiver do usuário, mais rapidamente a página inicial tende a carregar. Ou seja: o melhor cenário é ter uma rede ampla e distribuída.

Porém, certas companhias que oferecem essa solução no Brasil operam com POPs apenas no eixo Rio-São Paulo. Regiões no interior do país acabam desprestigiadas, o que pode ser um obstáculo para atingir públicos mais distantes.

Caso sua organização tenha alcance internacional, também é importante observar a estrutura da CDN em escala global. Onde estão localizados os pontos de presença? São suficientes para a demanda de tráfego?

  1. Latência

Um baixo número de POPs na Rede de Distribuição de Conteúdo compromete, ainda, a velocidade de carregamento. O tempo de espera entre a solicitação e o acesso à página, conhecido como latência, deve ser o menor possível. Se o site não abre, bastam poucos segundos para o visitante desistir da tentativa.

Alguns serviços de CDN contam com servidores nos Estados Unidos para rotear os dados de URLs no Brasil. Numa situação com alto volume de tráfego, essa pode não ser a melhor estratégia. Afinal, como as informações percorrem uma longa de distância, a latência aumenta.

  1. Estrutura própria

E por que rotear dados tão longe? Bem, existem marcas que atuam no Brasil, mas utilizam uma estrutura de terceiros.

Pode ser um caminho econômico, pois ajuda baratear despesas. O problema é que, com tantos intermediários, o atendimento ao consumidor fica comprometido. Qualquer tentativa de suporte terá que passar por diversas instâncias até que o incidente seja resolvido. Isso consome tempo. E tempo, especialmente para quem realiza negócios on-line, custa muito caro.

  1. Preço

Os valores das soluções em CDN no Brasil variam bastante. Há empresas que oferecem serviços gratuitos e funcionalidades pagas, a taxas fixas. Outras calculam o preço conforme a quantidade de pageviews do site durante um mês.

A dica é pesquisar e comparar orçamentos para ter convicção na escolha. Cada plano de assinatura tem suas vantagens. Verifique o que melhor se encaixa nas necessidades (e nas possibilidades financeiras) de seu empreendimento.

  1. Serviços exclusivos

No fim das contas, a relação custo/benefício sempre revela qual alternativa vale mais a pena. Em paralelo ao preço justo, deve-se pensar na qualidade da entrega.

Observe, especialmente, as ferramentas exclusivas de cada CDN. Elas costumam incluir mecanismos de segurança, analytics e otimização de arquivos para um carregamento mais rápido.

Gostou? Esperamos que o artigo de hoje tenha ajudado você a entender as diferenças entre fornecedores de CDN no Brasil. Aproveite o embalo e veja outras dicas de como escolher a solução ideal para sua empresa. Até mais!

Comentário(s)